Encontros

Assuntos mal resolvidos sempre pesam. Aquela história do dito pelo não dito, pensamentos que passaram e principalmente, sentimentos. Ah, estes são os que mais doem. Mas quando o assunto é tenso, daqueles que nem você sabe definir do que se trata, como resolver? Ignorar de vez, torcendo para que, trancafiado em um quarto escuro, ele definhe e morra? Ou colocá-lo para fora, na claridade, e arejá-lo?

A primeira vista, pode parecer mais fácil deixar tudo como está, não mexer, não tocar, não falar. Mas, pela primeira vez, criei coragem, subi no banquinho, de All Star, tiara e tudo que tinha direito, e falei. Coloquei pra fora todas minhas as angústias, em alto e bom tom. Peguei a bomba de sentimentos e, como uma granada, gritei ‘fire in the hole’ e atirei longe. Tremi, chorei, balbuciei.

E no final, quando você se senta no chão, sem forças e coberto de lágrimas, percebe que os fantasmas só vão embora do porão quando você os deixa partir. Eles, um a um, se despedem com um sorriso e vão embora, deixando o coração e mente leves. A esperança retorna, e, com o baú vazio, me sinto pronta para outra.